Eventos

Objetivando o ensino da língua japonesa aos seus filhos, foi fundada pelos imigrantes em 11 de fevereiro de 1938 a “Associação de Pais Japoneses da Cidade de Suzano”, porém com o advento da 2ª Grande Guerra e Brasil e Japão na condição de países inimigos, tornou-se inevitável a suspensão dos trabalhos da associação. Ao reiniciar as atividades em março de 1946, o nome foi mudado para “Associação de Japoneses da Cidade de Suzano”. No ano seguinte, em 1947, uma nova entidade foi criada com o nome de “Associação de Pais da Cidade de Suzano” passando a funcionar e associações de japoneses na nossa cidade. Este fato causou preocupação pois prenunciava uma cisão na comunidade japonesa de Suzano. Em 1948, como resultado do entendimento entre as duas associações, promoveu-se a fusão, surgindo a “Nova Associação de Japoneses da Cidade de Suzano”. Outra vez, em 2 de abril de 1949, por ocasião de emancipação de Suzano, o nome foi alterado para “Associação de Japoneses do Município de Suzano”. Entretanto, num país formado por imigrantes de várias nacionalidades e que preza a harmonia entre as raças, era questionável a existência de uma associação que congregasse somente japoneses. Assim, em 1960 houve a alteração para a denominação atual, “Associação Cultural Suzanense”.



História da Cerejeira
Cerejeira é o nome dado a várias espécies de árvores originárias da Ásia, algumas frutíferas, outras produtoras de madeira nobre. Estas árvores classificam-se no sub-gênero Cerasus incluído no gênero Prunus (Rosaceae). Os frutos da cerejeira são conhecidos como cerejas, algumas delas comestíveis.



As cerejas são frutos pequenos e arredondados que podem apresentar várias cores, sendo o vermelho a mais comum entre as variedades comestíveis. A cereja-doce, de polpa macia e suculenta, é servida ao natural, como sobremesa. A cereja-ácida ou ginja, de polpa bem mais firme, é usada na fabricação de conservas, compotas e bebidas licorosas, como o Kirsch, o Cherry e o Marasquino. As cerejas contém proteínas, cálcio, ferro e vitaminas A, B, e C. Quando consumida ao natural, tem propriedades refrescantes, diuréticas e laxativas. Como a cereja é muito rica em tanino, consumida em excesso pode provocar problemas estomacais, não sendo aconselhável consumir mais de 200 ou 300 gramas da fruta por dia.



O cultivo da cerejeira é realizado em regiões frias. Necessitam de 800 a 1000 horas de frio para que possam produzir satisfatoriamente em áreas com Invernos frios e chuvas.



Campeonato Interclubes de Kendô de Suzano
A Equipe de Kendô do Bunkyo Suzano, agradece a participação de todos.